Chocolate



Joguei Vinícius na cama, amarrei suas mãos na cabeceira e bati muito em sua cara de safado. Como é bom bater nesse filho da puta desobediente.

Vinícius é do tipo garotão, que adora curtir a vida. Galinha e sedutor, adora ser escravizado por um macho bem gostoso, como eu.

Batia sem dor e ele gritava por socorro, mas quem poderia ajudá-lo?

Amarradinho e indefeso, peguei a silver tape e passei em sua boca. Logo em seguida prendi também seus pés deliciosos.

Em seus olhinhos azuis pude perceber o quanto estava aflito e amedrontado. Fiquei com muita dó do pobre coitado, mas não podia passar essa minha fragilidade. Imagina um mestre como eu ter dó de um escravo, isso é inaceitável.

Fui então até a cozinha pegar a minha surpresinha. Vinícius temia algo que o machucasse. Em vários de nossos encontros, deixava em seu corpinho branco sinais de um mestre muito malvado. Eram chicotadas, cera quente, prendedores nos mamilos e entre outras torturas. Mas dessa vez queria algo diferente. Foi aí que veio uma idéia genial.

Resolvi então juntar duas coisas que gosto de montão: bondage e chocolate.

Quando cheguei no quarto com a tigela cheia de calda de chocolate Vinícius ficou sem entender. Tirei a silver tape de sua boca e lasquei um beijo gostoso.

Peguei então um moranguinho, molhei na calda e coloquei em sua boquinha. Ele delirou de tesão, então eu disse:

-Viu como a gente pode sentir tesão com apenas uma deliciosa sobremesa que é o chocolate?
-Sim, adoro chocolate e você muito mais.
-Você aceita mais chocolate?
-Sim claro!

Foi aí que peguei uma colher e comecei a jogar chocolate sobre toda a barriguinha sarada do Vini. Ele se contorcia de tesão ao sentir a calda ainda quente caindo sobre sua linda e macia pele. Pude perceber que estava excitado. Segurei bem firme seu pau e falei:

-Ainda não é hora de ficar de pau duro!
-Mas não consigo Senhor. Você me faz sentir muito tesão.
-A gente só está começando
-Delicia Sr. Breno. Continue!

Amaçava aquele enorme cacete até ele não se aguentar. Eu falava pra ele não gozar, tinha que esperar o momento certo. Ele quase pisou na bola.

Tirei sua sunga deixando de fora seus 22,5 cm de pica. Não pude me conter e enfiei mais um moranguinho em sua boca e comecei a lamber seu pauzão gostoso.

Foi aí que senti a porra do Vini na minha boca. Mamei gostoso, fazendo com que me delirasse de prazer.

O chocolate estava sobre toda a sua barriga para que eu lambesse todinho sem deixar si quer uma parte suja. Minha língua deslizava sobre seu corpo quente e sarado. Chupava o umbiguinho, os mamilos e mordia de leve o seu abdome delicioso.

O gosto do chocolate misturado com o seu suor de macho dava um gosto inexplicável. Foi aí que tive a idéia de jogar chocolate em mim também para que Vini provasse um pouquinho do doce do prazer (nome que apelidei o chocolate depois dessa noite).

Desamarrei Vine e subi em cima de sua pica. Então ele me abraçou e começou a lamber meu pescoço, peitoral e abdomem. Tentou colocar sua pica em meu cuzinho, a princípio não deixei, mas depois que ele fez aquela carinha de cachorro sem dono, não resisti e fiquei de quatro para que ele enfiasse com cuidado sua gigantesca pica de 22,5 cm.

Pensei que ele iria se vingar de mim e enfiar com tudo para que eu sentisse a dor que ele sempre sentiu em minhas mãos. Pelo contrário, foi muito carinhoso e paciente comigo. Era a minha primeira vez como passivo, e não poderia ser mais prazeroso com outra pessoa.

Foi um vai e vem tão gostoso que eu não queria que acabasse nunca. Era vez de trocar, e eu com apenas 18 cm de pica enfiei naquela bundinha deliciosa, fazendo com que o meu escravo Vini gritasse de prazer.

Fizemos amor quase a noite toda. Dormimos abraçadinhos e quando acordei fui logo preparar o café-da-manhã. Deixei tudo pronto e fui acordar o Vini para tomarmos banho juntos.

Fomos nos beijando até o banheiro. Eu apertava sua bunda e ele segurava minha pica. Era tudo tão gostoso que encostei ele na parede e comecei a chupá-lo. Ele segurava minha cabeça, puxava meu cabelo e gemia como uma puta safada.

Mandei ele esperar na cama, pois tinha preparado um delicioso café-da-manhã. Peguei a bandeja fui em direção ao quarto e lá estava aquele lindo rapaz sentado na minha cama esperando para tomar café.

Sentei na cama de frente com ele, peguei um morango, molhei no chocolate, coloquei em sua boquinha e disse:

-Vamos repetir a dose?

Autor: Heitor SW

3 comentários:

ROBERTO SÉCIO disse...

Olá meu querido amigo adorei o conto muiro exitante vou realizar rssa fantasia amanhã no dia dos namorados hehe
e te conto com mais detalhes combinado
meu e-mail de contato
supersecio2007@hotmail.com
aguardo seu contato
amei o conto de hoje estou sem palavras.

Anônimo disse...

Gostei muito do conto. Ideal para o dia dos namorados. Morango com chocolate ficou demais. Espero por Chocolate 2, rsrs
um abração

jhimye disse...

uaaaaaaaalllllllll
amei cara, é muito exitante!