Dois Policiais e um Escravo


Eu estava indo para Santos-SP, quando fui abordado por dois policiais rodoviários:

-Por favor saia do carro imediatamente!

Como eu sabia que não havia nada errado, saí do carro sem dizer nenhuma palavra. Eles olharam meu carro a procura de alguma coisa, como não encontraram disseram:

-Teremos que levá-lo até a delegacia.
-Mas por que? O que houve?
-Por favor, não discuta!
-Mas eu não estou discutinto, só estou querendo saber o que está acontecendo.
-Vamos ter que te algemar.
-Algemar? Não será necesário!
-Por favor, coloque as mãos no capô do carro.
-Não vou colocar nada.
-Senhor não queremos te machucar, se não deve, não tema.

Resolvi então obedecer, pois não queria complicar a situação. Eram dois policiais muito bonitos. Um era loiro, alto, com pinta de galã de novela e o outro era um moreno, forte, que aparentava ter uns 40 anos.

Então me algemaram e me colocaram dentro da viatura. Estava tudo correndo bem, até que eles resolveram entrar numa estrada de chão, o que me deixou com muito medo. Pensei comigo: "Será que eles não são policiais?"

O Medo foi tomando conta de mim. Vi que eles não paravam de olhar. Foi então que tomei coragem e perguntei:

-Pra onde vocês estão me levando?
-Cala sua boca! Você já está encrencado mesmo. É melhor ficar de bico calado!
-Vocês não podem fazer isso. Eu quero sair agora desse carro!
-Já mandei você calar a boca! - gritou o policial loiro, o que estava dirigindo
-Mas eu preciso saber o que está acontecendo!

Neste instante o "loiro" freiou o carro e veio pra cima de mim.

-Você quer mesmo saber o que está acontecendo? Então saia do carro seu puto!

Foi me puxando para fora do carro e mandando ajoelhar:

-Ajoelhe-se Verme!
-Pra que?
-Pra isso...

E com um golpe na nuca, Mauro (assim que se chamava o Loiro) me obrigou a me ajoelhar, e imediatamente foi abrindo o ziper de sua calça, tirando seu gigantesco pau pra fora e enfiando na minha boca.

Eu nunca tinha visto um pênis tão grande. Eu já estava gostando da idéia, quando derrepente Fernando (assim que se chamava o moreno) me puxou pelo pescoço e enfiou seu pênis na minha boca enquanto Mauro batia punheta.

Prestes a gozar Mauro volta a colocar seu pauzão na minha boquinha. Delicia demais sentir aqueles pênis na boca. Então Mauro e Fernando gozam e me mandam engolir. Como eles viram que eu não estava gostando daquilo, pegaram uma silver tape e me amordaçaram com a porra deles dentro da minha boca. Foi terrível a sensação. No começo fiz vômito. Mas tinha que obedece-los.

-Vai seu viadinho. Engole essa porra! - disse Mauro

Ao ver que eu ainda estava com a porra na boca, Fernando segura minha cabeça e começa a bater na minha cara:

-Engole logo essa porra seu viadinho! Estou mandando você engolir!

Então engoli aquela porra quentinha. Estava adorando aquilo tudo. Sem tirar a silver tape da minha boca e ainda algemado, Fernando começa a amarrar minhas pernas. Estava com meus pulsos doendo, pois as algemas estavam bem apertadas. Me vendaram e me colocaram no porta-malas do carro.

O carro começou a se movimentar. Não fazia idéia de onde aqueles safados estavam me levando, mas a sensação que eu estava vivenciando era muito excitante.

O carro parou. E fiquei no porta malas por muito tempo. Estava com fome e cansado. Escutei a voz de Fernando, ele estava discutindo com Mauro. Então Fernando abre o porta-malas e tira a venda e a silver tape:

-Você está bem? - perguntou Fernando
-Não, estou com fome e cansado.
-Vou te soltar e você vai poder comer algo.

Já estava de noite. Fernando me deu um prato de comida e falou pra mim tomar um banho. Eu estava num rancho do pai de Mauro.

Ao sair do banheiro Mauro me amarra na cadeira, e Fernando começa a discutir com ele:

-Chega disso Mauro. Vamos soltá-lo. O coitado já não aguenta mais. Ele tem que descansar um pouco.

Então Mauro vai para cima de Fernando e o golpeia na cabeça, deixando-o inconciente. O medo novamente começou a tomar conta de mim. Dava pra perceber que Mauro não estava no seu estado normal.

Mauro pegou outra cadeira e amarrou Fernando também.

Eu e Fernando fomos amarrados nús. Mauro pegou uma faca e começou a passar sobre nosso corpo. Isso fez com que eu entrasse em desespero. Comecei a chorar e implorar:

-Por favor, deixe a gente ir embora. Não vou contar nada pra ninguem sobre o que aconteceu.
-Fica quieto! Cala sua boca vadia! - disse Mauro

Fernando acorda e se assusta:

-Você está doido? Por que me amarrou?
-Porque você estava querendo atrapalhar os meus planos. - respondeu Mauro
-Solte-nos!
-Cala a boca!

Então Mauro começou a beijar Fernando e com a faca foi cortando as cordas que o prendiam. Mauro começou a tirar a roupa. Ver aqueles caras gostosos e nús na minha frente me deixou muito excitado. Meu pau estava bem duro, vendo aquilo Fernando caiu de boca no meu pênis e Mauro novamente enfia seu gigantesco pau na minha boca.

Os dois me deixaram com muito tesão...A medida que eu ia devorando a saborosa pica de Mauro, ele ia cortando as cordas que me mantinham preso a cadeira. Então fui levado pelos dois gostosos até o quarto e lá que começou a parte mais gostosa da brincadeira.

Mauro ficou de quatro e eu encaxei meu pau no cuzinho dele, e Fernando o dele no meu. Foi o "trenzinho" mais gostoso da minha vida. Comer e ser comido ao mesmo tempo é uma sensação inesplicável.

Nunca passei por uma experiencia parecida. Mas estava adorando. Após a transa, Mauro e Fernando pediu pra mim ficar no rancho com eles, pois eles tinham curtido muito tudo o que tinha rolado. Resolvi então mudar meus planos e não ir mais a Santos.

Fiquei uma semana no rancho com aqueles policiais. Foi uma semana inesquecível.

Conto de Mr Boy, Exclusivo Bondage Man

Nenhum comentário: